conferência na prática
Fundação Estudar

Conheça as conferências Na Prática e o que rolou na última edição

A Stone esteve presente em todas as conferências Na Prática desde a primeira edição, em 2014, porque acreditamos no poder de investir no potencial e carreira dos jovens brasileiros. 

O Estudar Na Prática é um projeto super bacana da Fundação Estudar que oferece cursos e conferências para apoiar jovens de alto potencial, universitários e recém-formados, em seu desenvolvimento pessoal, profissional e na tomada de decisão de carreira. Além disso, ele disponibiliza conteúdo digital gratuito sobre autoconhecimento, mercado e liderança, por meio do portal NaPrática.org. 

 

As conferências Na Prática

Para quem nunca foi ou ouviu falar, as Conferências Na Prática são eventos de um dia que preparam e conectam jovens de alto potencial com as maiores organizações do país em diversos setores. Além de participar de bate-papos com profissionais do mercado, há painéis de conteúdo, sessões de speed coaching e as mesas de relacionamento, que possibilitam os jovens interagirem com profissionais de recrutamento e lideranças das empresas. Todos os participantes recebem um currículo personalizado e aqueles que se destacam no processo seletivo têm ainda a oportunidade de realizar um pitch para recrutadores e líderes das organizações, aumentando as chances de contratação.

Existem quatro temáticas abordadas nas conferências ao longo de cada ano: Gestão Empresarial, Mercado Financeiro, Jurídico e Empreendedorismo e Tecnologia. O perfil das empresas convidadas está relacionado à temática do evento e abrange exemplos de diferentes culturas e tamanhos dentro do setor empresarial.  

Na semana passada, aconteceram as primeiras conferências do ano: Gestão Empresarial, no dia 31/07, voltada para as principais empresas do país, tanto as que possuem programas de estágio e trainee estruturados, quanto aquelas que desejam contratar jovens para vagas pontuais; e Mercado Financeiro, no dia 01/08, voltada para bancos, private equities, assets, seguradoras, fintechs e departamentos financeiros de empresas. No final de outubro, ocorrerão as duas seguintes: Empreendedorismo e Tecnologia, no dia 30/10, para startups e empresas de tecnologia (ou que desejam contratar jovens com este perfil); e Jurídica, no dia 31/10, onde participam os principais escritórios de advocacia do Brasil e também departamentos jurídicos de grandes empresas. 

No total, já foram realizadas 10 edições até agora (4 de Gestão Empresarial, 2 Jurídicas, 3 de Mercado Financeiro e 1 de Empreendedorismo e Tecnologia), e ainda ocorrerão mais estas duas edições em outubro. E, por elas, já passaram mais de 3.000 jovens e 120 empresas, dentre elas Itaú, Ambev, Burger King, Microsoft, Santander, Endeavor, Bain&Company, entre outros, e a própria Stone.  

Nós da Stone somos grandes parceiros da Fundação Estudar (entenda mais desta parceria aqui) porque compartilhamos do mesmo propósito e valores (como espconferencia na praticaírito de dono e protagonismo) e acreditamos que investindo no autoconhecimento e carreira dos jovens vamos promover grandes mudanças capazes de transformar o país. Por isso, estivemos presentes em todas as conferências realizadas até então, desde a primeira, em agosto de 2014. 

Para Graziela, do time de Pessoas da Stone, esta foi sua segunda conferência representando a empresa. Segundo ela, “É muito importante para a gente estar perto dos talentos… a Fundação faz um bom filtro em relação a estes candidatos e eles são muito parecidos com o que a gente procura. Então, são um pessoal realmente inteligente e de alto potencial.” Quanto à expectativa em relação ao evento, ela não esconde o foco em contratação:

“A gente tem encontrado muita gente boa aqui nas mesas, para bater papogente interessada.”(…) Acho que a grande sacada nossa, como empresa, foi ter chamado grande parte dessas pessoas já para uma dinâmica. Então, de alguma maneira, muito  ouviram falar da gente ou pesquisaram um pouco (…) As pessoas já estão vindo mais preparadas e até mais apaixonadas pelo que estamos fazendo.”  

Para ela, a principal diferença desta edição em relação às outras é justamente o conhecimento da marca pelos jovens. “Eu vejo uma mudança bem grande. Eu vim ano passado e a gente não era tão forte quanto este ano. A gente tinha que se apresentar pra todo mundo… e hoje as pessoas, ‘Nossa, eu ouvi falar de vocês.’ Isso como marca é realmente uma diferença muito grande. (…) E elas realmente já conhecem a gente pelo que estamos nos tornando referência, que é essa parte de atendimento, de talento, de aliar pessoas boas.” Além disso, ela percebe que a Conferência esteve mais cheia este ano. 

conferência na prática

Gabriel Sherer, líder de Risco da Stone, que chega a sua quarta conferência pela empresa, também compartilha das mesmas ideias e impressões. “Dá pra trazer gente boa, a gent trouxe… vários. Acho que vale a pena.” 

Para os jovens participantes, buscando uma vaga no mercado, o evento é igualmente benéfico. Segundo Ana Luiza, 24 anos, formada em Engenharia Química na PUC-Rio, que foi a conferência na semana passada pela primeira vez, esta é realmente uma oportunidade incrível. “Eu sempre ficava com o pé atrás, ‘Mas, poxa, é só mais um processo seletivo’. Aqui não é um processo seletivo, é realmente se conhecer… conhecer novas empresas, ter a oportunidade de ter esse networking. (…)  Eu já tenho vários processos seletivos marcados, mas mesmo que eu não conseguisse nenhum, já valeu só pela experiência de conhecer um pouco mais.”  

Para ela, o acesso aos profissionais da empresa é o grande destaque do evento. “Tudo o que a gente quer, às vezes, é um contato pra gente chegar perto de profissionais desse nível. Eu conversei com presidente, com diretores… Quando eu ia poder ter esta oportunidade?” 

Na sua visão, o grande resultado do dia foi ter aberto sua cabeça. “Eu vi que eu tinha uma mente muito engessada… e não. Eu não quero só fazer um trabalho que tenha a ver com a minha carreira, eu quero estar em um lugar que tenha a ver com a minha cultura(…) Isso é que vai definir onde eu vou ser feliz, entendeu?” 

Daniel, também de 24 anos e formado em Engenharia Química, na Universidade Federal de Viçosa, achou o dia intenso. Igualmente estreante no evento, ele achou interessante o fato de poder tirar dúvidas diretamente com o pessoal de recrutamento das empresas. “Eu gostei muito de poder conhecer as empresas que deram match comigo… de tentar entender porque deu essa compatibilidade. (…) Mesmo que eu saia daqui com nada concretizado, acho que o aprendizado é que todos nós somos gente boa, todos nós temos o seu ponto forte e a gente tem que achar a empresa que busca aquilo que a gente representa.” 

Raul, 21 anos, estudante de Engenharia de Materiais na UNESP de Guaratinguetá, é outro que esteve participando pela primeira vez. Ele foi inclusive nas duas conferências realizadas semana passada. “Eu vim por duas coisas. Primeiro pra buscar novas oportunidades que a gente não conhece – tem várias empresas aqui que eu não tinha conhecimento nenhum – entender um pouco a cultura delas, ver outras possibilidades de trabalho. E a outra é poder participar para realmente entrar no mercado de trabalho. Ter a oportunidade aqui, frente a frente com as melhores pessoas.” Para ele, as palestras são outro diferencial extra, enfocando em temas como desenvolvimento pessoal e como se apresentar para as empresas. Como grande aprendizado, ele tira o networking e lições sobre como se portar em um ambiente profissional. 

Além de participarmos do pitch e das mesas de relacionamento, fazemos questão de levar nossos lídereconferência na práticas para participar de painéis de conteúdo e rodas de bate-papo com os jovens. Na Conferência de Gestão Empresarial, na última segunda-feira, nosso líder de Comercial Digital palestrou sobre ‘Desenvolvimento de Produtos e Serviços: inovando a partir da necessidade do cliente.’ Em seguida, o Bernardo Carneiro, um dos nossos sócios-diretores, falou sobre ‘Gestão Financeira: garantindo do Operacional ao Estratégico’. No dia seguinte, na Conferência de Mercado Financeiro, não foi diferente. Na parte da tarde, o Augusto Lins, nosso diretor de Negócios, bateu uconferência na práticam papo com os participantes, contou sua história pessoal e deu dicas de ‘Como dar os primeiros passos para entrar no mercado financeiro’.  

Para fazer tudo isso acontecer, hoje há várias equipes que ajudam na preparação e execução da Conferência. Para Thamires, responsável pelo relacionamento com as empresas participantes da Conferência,  Um dos maiores desafios do setor empresarial e de outros mercados abordados pela Conferência é a conexão eficiente entre jovem e empresa. Muitas vezes, o jovem tem acesso ao mercado, mas não sabe como se conectar com as oportunidades disponíveis ou qual a melhor organização para si. Do outro lado, a empresa abre oportunidades, mas não consegue chegar no jovem de alto potencial, hoje escasso no mercado –  ou não consegue identificar aquele jovem que tem maior fit com sua cultura.” Para ela, a Conferência preenche exatamente este gap.  “Em apenas um dia criamos um ambiente, com diferentes atividades, que acelera o contato entre jovem e empresa, tornando possível uma conexão entre eles, o que chamamos de “match”. Fornecemos para o jovem uma lista de 5 empresas dentro da Conferência com as quais ele possui maior fit cultural. Enquanto que para as empresas, nós pré-selecionamos jovens de alto potencial.” 

Tânia, responsável pela área comercial e relacionamento com os jovens da conferência, concorda que o evento tem uma importância fundamental nas decisões tanto dos candidatos quanto das empresas: “É importante para as empresas para criar uma conectividade maior, desmistificar um pouco das áreas e mesmo para mostrar que o mercado é muito maior do que aquilo que a gente aprende na faculdade. (…) A gente vê que vale a pena se conectar e entender de verdade como que é o ambiente antes de escolher só por nome ou por awareness de marca.”

No contexto atual do mercado, em que os millenials buscam não só um trabalho alinhado às suas habilidades, mas também uma oportunidade de realizarem seu propósito pessoal e serem felizes ao longo da jornada, o autoconhecimento e a aproximação entre empresas e jovens candidatos se mostram essenciais para um casamento perfeito e uma relação benéfica e duradoura para ambos. É por isso que, cada vez mais, organizações e jovens devem aproveitar eventos como esses e outras ferramentas para trocarem ideias e experiências e construírem conexões de valor. Afinal, se hoje nos informamos ao máximo antes de tomar qualquer decisão de compra, devemos nos informar mais ainda para tomar decisões de carreira; certamente elas são algumas das escolhas mais importantes e definidoras das nossas vidas.

 por Carol Lafuente