E-commerce

E-commerce e marketplace: o quanto você sabe sobre negócio virtual?

Nos últimos anos, o acesso à internet cresceu muito. Esse crescimento fez surgir novos nichos de mercado, como o e-commerce. Também chamado de comércio eletrônico, loja online e loja virtual, o e-commerce nada mais é do que a venda e a compra de produtos e ou serviços através da internet.

Os motivos para o crescimento constante e o sucesso deste segmento são vários. Para o consumidor, a comodidade de comprar sem sair de casa e a facilidade de pesquisar preços são apenas algumas das inúmeras vantagens do e-commerce.

Já para o lojista, não se limitar a um único local, podendo atingir pessoas de todos os lugares, custo inicial mais baixo para implementação e a possibilidade de vender 24 horas por dia, sete dias na semana, pode ser bastante interessante.

Para atingir mais clientes e oferecer uma maior variedade de produtos, um novo tipo de comércio eletrônico está se popularizando: o marketplace. Mas qual a diferença, afinal?

O marketplace também é chamado de shopping virtual, e não é à toa! O funcionamento é bem parecido com o de um shopping tradicional: são várias lojas reunidas em único local, só que neste caso, várias lojas online em um único site.

Esta modalidade pode gerar benefícios a todas as partes envolvidas. O dono de um marketplace consegue oferecer mais opções aos seus clientes sem se preocupar com o estoque, por exemplo, gerando fidelização. O lojista pode oferecer o seu produto em um site maior e mais conhecido e conquistar novos clientes sem se preocupar com marketing e plataformas. Para os consumidores, encontrar uma grande cartela de produtos e marcas e pagar por apenas um frete é uma grande vantagem.

Mas, como todo segmento, se não for bem implementado pode trazer dor de cabeça. Quando um grande varejista cede espaço a outros lojistas em seu site, sua imagem fica vinculada ao do parceiro, caso ocorra algum problema, como atraso na entrega ou má qualidade do produto ou serviço, por exemplo, a imagem do marketplace pode ficar manchada, já que é a marca maior e as pessoas confiam nela. Uma pesquisa aprofundada sobre a loja pode ser a solução.

O lojista paga uma comissão sobre cada venda ao marketplace, se o produto não tiver uma boa margem de lucro, pode acabar gerando prejuízo. Além disso, caso o produto oferecido passe a fazer sucesso, o dono do marketplace pode passar a oferecê-lo também, prejudicando o negócio. Escolher um marketplace que atraia o perfil de cliente que você procura também é muito importante para o sucesso da parceria.

Cada modalidade têm as suas vantagens e desvantagens, por isso é muito importante pesquisar bastante antes de se aventurar.

As pessoas passam cada vez mais tempo conectadas, por isso a tendência é que esse mercado se expanda ainda mais e estar presente nele pode ser bastante oportuno.

Quer abrir uma loja virtual e não sabe por onde começar? Confira aqui.