etica-e-integridade-no-trabalho
Jeito Stone

Você tem amigos ou cúmplices? Crie uma cultura de ética e integridade no trabalho e ganhe amizades.

Pessoas éticas atraem outras pessoas éticas, formando uma rede do bem ao seu redor. Portanto, para criar uma cultura de ética e integridade no trabalho, o primeiro passo começa com a gente: seja íntegro.

Segundo La Boétie, filósofo e humanista francês, apenas pessoas éticas têm amigos, os maus têm cumplices. E esses cumplices competem conosco e cobiçam nosso sucesso. Com isso, é interessante pensar que ser ético é o caminho melhor e mais fácil para vencer, uma vez que, ao sermos éticos, ao invés de inveja e armadilhas, encontramos o apoio de pessoas que torcem pelo nosso sucesso.

Um grande expoenteetica-e-integridade-no-trabalho da integridade no ambiente corporativo é o ex-CEO da GE, Jack Welch, que, neste vídeo, dentre várias ideias, defende que devemos ser sempre cuidadosos com a integridade e nunca devemos deixar ninguém duvidar sobre como nos posicionamos sobre os assuntos. Integridade, para ele, é mais do apenas questões legais, são valores que devem nos guiar a todo o tempo. É sobre sempre fazer a coisa certa, não apenas a legal. Confie na sua integridade e não desaponte os outros é a mensagem final do discurso.

Na Stone, compartilhamos desse pensamento. Não à toa um dos nosso valores é ‘Integridade’. Acreditamos que a integridade direciona a inteligência e energia para o bem das pessoas e da empresa. Por isso, antes de tudo, nos mantemos exageradamente éticos. Ao valorizar fortemente a integridade e não ser complacente com a falta dela, não só você se blinda contra os desonestos, mas também atrai ainda mais pessoas éticas para o seu lado, que o(a) ajudarão a alcançar o sucesso.

Mas o que é, de fato, ser íntegro? Para nós, a integridade passa por alguns pontos como: ser você mesmo e ser consistente em suas ações e com os outros. Isso pode ser mais facilmente resumido em duas diretrizes principais: assuma seus erros e seja embaixador da integridade. No entanto, claro que há uma série de comportamentos que podem ser desdobrados destes pontos para direcionar nossas atitudes rumo a uma conduta ética.

 

Criando uma cultura de ética e integridade no trabalho

Para entender como praticar a integridade no dia a dia, vale a pena analisar alguns cases reais e as lições que podemos tirar deles:

 

#1 Assuma seus erros

Um colaborador nosso trabalhava em uma área core da empresa, que chamaremos aqui de X, na época em que estávamos começando a escalar o produto. Ele e seu  time estavam arrumando o banco de dados antigo para corrigir alguns erros passados. Enquanto estavam fazendo o reprocessamento dos arquivos, um desenvolvedor da área de Tecnologia, que os estava ajudando, cometeu uma falha que impactou diversos clientes da empresa. Mas a área X foi a responsável final porque, por mais que tivesse usado a ajuda da turma de tecnologia, ela é a dona do processo e deveria ter auditado.

Ao serem avisados pelo time Comercial da situação e perceberem o erro, correram para tentar descobrir o que tinha acontecido e qual era o tamanho do prejuízo. Então, começaram a resolver. Passaram a noite destrinchando o problema e, já no dia seguinte, se juntaram ao time de Tecnologia, para entender mais no detalhe, e trabalharam com as áreas de Comercial e Relacionamento com Cliente, para reverter a situação com os clientes. No final, dos mais de mil clientes impactados, apenas um ou dois se negaram a ajudar a empresa a resolver o problema.

O mais interessante de tudo é que, ao contarem ao seu gestor o que tinha ocorrido e como estavam agindo, ele entendeu que já estavam resolvendo o problema, tinham um plano estruturado para isso, e inclusive se ofereceu para ajudar, caso necessário. Em outras palavras, o gestor viu que estavam assumindo o erro e correndo atrás de corrigir, então apoiou. Não os puniu com mão de ferro.

Lições:

  • Se errou, entenda rápido, monte um plano e resolva. Depois, vai entender o motivo e acerta o processo. Na hora do problema, não perca tempo apontando o dedo, é hora de resolver o mais rápido possível. Foque na correção.
  • Entenda quem errou. Para consertar o erro, todos têm que entender da onde ele veio e se abrirem também para encontrar as pessoas envolvidas nele. Não tem nada de errado em buscar quem errou. É importante que as pessoas não fiquem se defendendo e tentando se esquivar da culpa ao invés de falar o que aconteceu.
  • Olhe além do erro,  o porquê foi cometido e quais atitudes estão sendo feitas para corrigir. Quando o funcionário leva um erro ao gestor e ele devolve a transparência dele com um “tapa”, ele vai aprender que não pode levar notícia ruim para o gestor. Se o gestor punir direto o erro, ele criará uma cultura de não arriscar e inibirá as pessoas de assumirem seus erros.
  • Seja transparente. Por fim, a atitude dos cliente prova que, a la La Boétie, quando você é transparente, você consegue o apoio de pessoas igualmente éticas.

 

#2 Seja embaixador da integridade

Outro dos nossos colaboradores, uma vez, viu uma funcionária da empresa roubar um chocolate da sua gaveta no escritório. Ele falou com uma colega responsável, mas não fez nada. Na semana seguinte, viu de novo, falou com ela novamente e, mais uma vez, nada foi feito. Daí ele esqueceu e deixou para lá, não era sua prioridade. Não queria perder tempo com um problema “tão pequeno”. O problema é que, pouco depois, aconteceu um desvio de ética no escritório e isto podia até  não estar relacionado a questão do doce, mas podia. Este nosso colaborador, então, se sentiu mal e se arrependeu de não ter tomado uma atitude no lugar da colega. Ela não tomou nenhuma atitude, mas ele também não fez força e escalou o problema. Ele deixou passar.

Lições:

  • Não permita atitudes desonestas. Você não pode ser omisso a atitudes contestáveis dentro da empresa. Chame a pessoa para conversar e explique porque esse tipo de atitude não é tolerado. Um ato contra integridade é você ser complacente com atos não íntegros de outros. Não tolere.

 

Portanto, comece a mudança em você: 1. seja ético e fiel aos seus princípios; 2. a partir daí, procure se cercar de pessoas também íntegras que te ajudem a alcançar o sucesso; 3. se mantenha consistente, transparente e assuma seus erros; e 4. não tolere desvios de ética dos outros e seja embaixador da integridade. Assim, se La Boétie estiver certo, você formará uma grande rede de pessoas éticas, amigas e bem-sucedidas.

por Carol Lafuente