Curiosidades

Meu cartão foi roubado! E agora, quem paga a conta?

A tecnologia chip e senha fez com que as transações com cartão de crédito ficassem ainda mais seguras. Mas ainda assim, o cartão pode ser roubado, perdido ou clonado. O que fazer em casos como estes?

Em todos os casos, a primeira providência a se tomar é entrar em contato com o banco que emitiu o cartão, avisar o ocorrido e pedir o bloqueio. Sempre anote o número do protocolo por questão de segurança. Feito isso, o próximo passo é ir até uma delegacia e fazer um boletim de ocorrência.

Controlar o saldo disponível na conta, conferir cada compra feita e o valor cobrado na fatura do cartão é um hábito extremamente importante para evitar surpresas desagradáveis. E se você notar que pagou por algo que não comprou ou um saque que você não fez, quem vai pagar por isso?

De acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), se uma pessoa tiver o cartão clonado, toda a movimentação realizada após o ocorrido é de responsabilidade do banco. Por isso, é importante anotar o número do protocolo da ligação pedindo o bloqueio do cartão e fazer o boletim de ocorrência imediatamente.

A associação oferece ainda um modelo de carta para pedir restituição ao banco e garante que se não for resolvido, o consumidor tem o direito de recorrer ao Procon ou entrar com ação no Juizado Especial Cível (JEC).

Já em casos de perda ou roubo, além do emissor do cartão, o prejuízo pode recair também sobre os lojistas, já que é deles a responsabilidade de conferir os dados na hora da compra. A dica para os comerciantes é semp­re pedir um documento de identificação com foto ao cliente para comparar a assinatura. Fazendo isso, é possível evitar fraudes.

Para os consumidores, tomar alguns pequenos cuidados pode amenizar o problema, por exemplo, jamais anotar a senha em um papel e colar no cartão, não emprestar o cartão ou deixar as informações dele à mostra, e não deixar junto de documentos pessoais.