mercado de ações
Mercado financeiro

O isolamento do mercado de ações

Mesmo com o constante aumento da atividade de brasileiros no mercado acionário, os números nacionais são pífios se comparados com os de outros países. Diversas pesquisas revelam que os indivíduos são demasiadamente avessos ao risco e ainda demonstram grande desconhecimento em relação ao mercado de ações.

É absurdo pensar que em um certo país existam mais pessoas presas do que investidores em seu mercado acionário. Porém, isso torna-se realidade no Brasil. Segundo dados do Banco Mundial, do total de 200 milhões de habitantes, 0,30% compõem o sistema carcerário brasileiro, enquanto apenas 0,29% dos cidadãos investem na Bolsa de Valores. Ao realizar um paralelo com os Estados Unidos, país mundialmente conhecido por ter a maior população carcerária do planeta, é possível ter a percepção do quanto a situação brasileira é crítica. Dos seus mais de 315 milhões de habitantes, 0,73% norte-americanos estão encarcerados, enquanto impressionantes 65% têm recursos investidos no mercado de ações. mercado de ações

A dúvida que surge é, claramente, o motivo de o país tropical apresentar tais números. A resposta, por sua vez, é intrigante. O brasileiro afirma com convicção que opta por ter retornos baixíssimos em virtude de não correr riscos. A caderneta da poupança, mesmo que com rentabilidade altamente comprometida pela inflação, ainda é citada como investimento preferido por 69,5% dos brasileiros, segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito. O rendimento absoluto desse investimento em 2016 foi de 8,30%, embora descontada a inflação o retorno tenha sido apenas de 1,89%. Em 2015, o resultado fora ainda pior: -2,28% de retorno anual. Mesmo com a péssima performance, o brasileiro ainda tem como prioridade a segurança.

Infelizmente, a falta de informações sobre o mercado de ações contribui ainda mais para tal abstenção. Segundo pesquisa encomendada pela BM&FBovespa, 43,5% dos entrevistados disseram não investir em ações por não ter conhecimento suficiente. Ainda, quase 12% das pessoas demonstraram a errônea visão de que investir na Bolsa de Valores é “somente para ricos”. Se perguntados sobre a função do mercado de ações, 40% dos interrogados não souberam responder. Isso mostra-se extremamente preocupante em um país emergente. Como providência, a BM&FBovespa passou a oferecer cursos gratuitos sobre planejamento financeiro, diferenciando-os em níveis de conhecimento e contendo até um curso específico para o público feminino, denominado “Mulheres em ação”. mercado de ações (Leia mais sobre a igualdade de gênero no Bovespa aqui)

Um país que passa por a maior recessão de sua história e que pretende voltar aos seus dias de glória financeira deve dedicar especial atenção a educação financeira de sua população. Medidas como a da Bovespa não são suficientes, apesar de representarem um começo para livrar o brasileiro da ignorância financeira.

por Lucca Marquezini

InFinance

Este foi um texto escrito por um aluno da instituição InFinanceuma entidade estudantil do Insper, que foi criado com o intuito de aproximar os estudantes da faculdade com o mercado financeiro antes mesmo do início de suas carreiras profissionais, por meio de projetos nas áreas de Equity Research, M&A, Private Equity, Crédito e Renda Fixa. Em todos os projetos, há mentoria de profissionais das respectivas áreas. Saiba mais em: https://www.infinance.club/

Nós na Stone somos parceiros da instituição por acreditarmos no poder da educação e experiência prática para o desenvolvimento dos nossos jovens e, consequentemente, da economia e mercado brasileiros.  Por isso,  a partir de agora, nosso blog será também um espaço para expor o pensamento crítico destas mentes sobre diversos assuntos da realidade do país, de finanças a política; afinal, eles representam nosso futuro.

Você também faz parte de uma instituição acadêmica e tem conteúdos interessantes para expor? Quer se tornar um parceiro Stone? Venha conversar com a gente no e-mail atracao@stone.com.br. Queremos fazer nossos jovens serem cada vez mais ouvidos!