Cuidado no e-commcerce: como se proteger do chargeback
E-commerce, Meios de pagamento

Quem tem medo de chargeback? – Parte 01

Chargeback. A palavra que assombra os empreendedores de e-commerce tem sua origem na língua inglesa com a junção dos termos charge back, o que literalmente significa “cobrar de volta”. Sabe quando o seu time faz um gol, comemora, e o juiz anula? Essa é a melhor forma de explicar chargebacks para leigos: você acredita que vendeu, mas no futuro acaba sem receber o dinheiro e muitas vezes só descobre depois de já ter entregado o produto e comemorado a venda.

Não nos surpreende que essa palavra assuste mesmo alguns lojistas! Mas calma… não há motivos para pânico, e nós vamos te dizer o porquê!

O que é o chargeback e por que isso existe?

Os meios de pagamento eletrônicos, como cartões de crédito e débito, facilitaram nossa vida e entraram no nosso dia-a-dia de maneira definitiva. Segurança e praticidade são as principais razões pelas quais nós, enquanto consumidores, aderimos aos cartões e resolvemos deixar o talão de cheques em casa e nosso dinheiro guardado no banco.

No e-commerce, os cartões de crédito foram os meios de pagamento mais utilizados durante a Black Friday de 2016 segundo a Mundipagg, seguido dos boletos e débito online. Além disso, os cartões oferecem maior conversão para o lojista e melhor experiência de compra para o cliente.

Apesar de ser mais seguro que dinheiro ou cheque, o uso dos cartões ainda traz consigo o risco de fraude – tanto para o lojista, quanto para o portador. O chargeback é o instrumento através do qual o ecossistema de meios de pagamento protege o portador das fraudes decorrentes dos roubos e clonagem dos cartões.
Fraude Efetiva

Ao ter seu cartão roubado ou clonado, o portador pode acionar o banco emissor e solicitar que seja feito um ressarcimento do valor das compras das compras realizadas sem seu consentimento. Além disso, o consumidor também pode utilizar o chargeback para ser ressarcido de uma compra que tenha terminado em desacordo comercial.

Ok… entendemos então que para nós, enquanto consumidores, o chargeback é um dispositivo de proteção. Mas aposto que você está pensando: por que o prejuízo da fraude cai sobre o lojista?

Isso ocorre porque o sistema instituído no Código de Defesa do Consumidor tem como base a teoria do risco do empreendimento, o que significa que o empreendedor deverá arcar com eventuais prejuízos causados pela vulnerabilidade da venda. A falta do dispositivo chip&senha para compras no e-commerce faz com que nosso segmento seja, naturalmente, mais vulnerável a fraudes do que o comércio físico.

Com o crescimento do comércio eletrônico, entretanto, cresceu também o conhecimento do consumidor sobre o chargeback Com isso, aumentaram os casos de compradores que agem de má fé e se utilizam dessa proteção para não pagar pelas compras que eles efetivamente realizaram. Chamamos esses casos de auto-fraude, ou seja, quando o fraudador simula ter sido fraudado.

Agora que você já sabe o que é chargeback e porque ele existe, continue com a gente que no próximo post vamos te explicar como proteger seu e-commerce desse risco e vender mais com mais segurança.

Boas vendas!