E-commerce

5 passos para abrir uma loja virtual

O e-commerce é um dos segmentos que mais cresce no Brasil e no mundo. Mas o que é e como funciona uma loja virtual? Quais são as vantagens de se aventurar neste setor?

Os processos são bem parecidos com os de uma loja física: a loja disponibiliza os produtos, o cliente escolhe, coloca no carrinho, efetua o pagamento, só que sem sair de casa.

As vantagens de abrir uma loja virtual são muitas, além de não precisar escolher um ponto de grande movimento para chamar a atenção dos consumidores, os custos iniciais são mais baixos. Além disso, na internet é possível atingir pessoas de todo o Brasil e até do exterior. Outro fator positivo é que o e-commerce funciona 24 horas por dia, sete dias na semana. Seu cliente pode visitar ou comprar no seu site quando ele quiser.

Mas antes de sair correndo e abrir a sua loja virtual é preciso seguir alguns passos.

 1 – Planejamento

Se você já possui uma loja física, é mais fácil expandir ela para o mundo virtual, mas caso não possua, é preciso planejar com mais cuidado. No e-commerce, até o peso e tamanho do produto importam, já que ele precisa ser entregue por correio ou transportadora e isso afeta diretamente na sua margem de lucro. Conhecer o produto ou serviço que você está oferecendo, analisar a concorrência e estudar o mercado são primordiais.

Após escolher o que vai vender na sua loja online é preciso ainda pensar em fornecedores, estoque e as formas de envio. Tudo planejado? Agora é hora de criar o seu site.

2 – Registro do domínio

O primeiro passo para a criação de um site é o registro de domínio, que nada mais é do que o  endereço do seu site. O Registro.br é o departamento responsável pelo registro e manutenção de todos os domínios que usam o “.br”.

Para criar, basta entrar no site e escrever o endereço desejado e ver se está disponível. Escolhido o domínio, é só clicar em registrar. Feito isso, você precisa fornecer um número de CPF ou CNPJ e preencher a ficha com os seus dados pessoais. É preciso pagar uma taxa de R$30,00* por ano para manter o domínio.

Também é possível ter um domínio internacional, alguns exemplos são .com, .net, .org. Eles não fazem referência à países. Qualquer empresa habilitada pela ICANN, entidade do governo americano habilitada para estabelecer regras do uso da Internet, pode fazer o registro e a anuidade varia de acordo com a empresa.

 3 – Serviço de Hospedagem­ 

O serviço de hospedagem funciona como um local em que você vai armazenar as páginas do seu site. Ele permite que o seu site e todo o conteúdo dele apareçam quando alguém digitar o seu domínio no navegador.

Existem várias empresas que oferecem o serviço de hospedagem, é preciso fazer uma pesquisa que envolva muito mais do que preço baixo. A hospedagem precisa ser de qualidade para que o seu site carregue rapidamente e não fique fora do ar. Além disso, o serviço de suporte precisa ser bastante eficiente para caso você tenha alguma dúvida ou problema.

Algumas empresas de hospedagem oferecem domínio gratuito por um ano e outras funcionalidades adicionais como serviço de e-mail com o endereço personalizado e instalador de aplicativos. A dica é se informar e ver qual vai atender melhor às suas necessidades.

4 – Finalmente, o site

Com o domínio pronto e um serviço de hospedagem contratado, agora você pode montar o seu site. Alguns serviços de hospedagem vendem softwares mais simples para a criação de sites, mas você também pode contratar um profissional como um web designer ou desenvolvedor para fazer isso por você. Existem plataformas gratuitas, pagas e com o código fonte aberto, vai depender do que você precisa e do que será mais viável.

É neste momento que você vai criar o layout do seu site, as páginas com foto, vídeo, descrição e preço do produto ou serviço que você está vendendo, além de gerenciar o estoque e as sessões.

Como é uma loja online, é importante ter um certificado SSL também. O SSL protege os dados do seu cliente e evita que eles sejam roubados por hackers, por isso é muito importante. Ele pode ser comprado na internet ou, dependendo da plataforma que você utiliza, pode ser gratuito por um ano.

Para finalizar, é preciso habilitar o seu e-commerce para receber pagamentos. Para isso, você tem três opções: adquirente, subadquirente ou gateway.  Cada opção tem suas vantagens e particularidades, mais uma vez você vai precisar analisar e escolher a que vai ser mais prática e funcional para você.

5 – Hora de vender

Com sua loja virtual montada, agora é preciso investir em divulgação. Criar contas em redes sociais é um ótimo começo para mostrar a sua marca e fazer propaganda. Além disso, você pode investir em anúncios pagos na internet, isso ajuda a ganhar visitantes no seu site.

Outra opção, é enviar e-mail marketing divulgando seus produtos e promoções. Para conseguir uma lista de e-mail você pode colocar banners no seu site pedindo o endereço de e-mail dos visitantes para enviar as ofertas. Jamais compre listas de e-mail ou envie sem permissão, além de ser incômodo e deixar uma imagem ruim para sua marca, seu e-mail pode ser marcado como spam.

É importante oferecer suporte ao seu cliente antes, durante e após a venda. Ficar de olho na Lei do E-commerce  é muito importante também. Todas as lojas precisam oferecer suporte 24 horas por dia, sete dias na semana para seus clientes e é preciso ter pelo menos um canal de contato. Enviar o acompanhamento da compra e pedir uma avaliação quando o produto for entregue ajuda a melhorar o serviço que você oferece e fideliza o cliente.

Pronto, agora é só começar a vender!

 

*O preço foi pesquisado no site do Registro.br no dia 08/01/2016 às 15h05.