Transação 360

Transação 360: meios de pagamento na Islândia

Quando pensamos na Islândia, a imagem que vem à mente é a de um país muito frio, inóspito, selvagem e coberto pela neve. No entanto, mesmo com esse cenário que pode parecer pouco receptivo, a Islândia oferece diversas opções para turistas interessados em experiências únicas.

Mais de 170 piscinas geotérmicas, geleiras, lagos e o Parque Nacional Þingvellir estão entre as principais atrações para quem curte atividades ao ar-livre e belas paisagens. Se você está interessado em relaxar de uma forma única, também tem muito para aproveitar na Islândia: além de muitos spas incríveis, um dos destaques é o pai de todos os gêiseres, conhecido simplesmente como Geysir, a 100 quilômetros da capital Reykjavik. A capital islandesa também é uma opção incrível: é calma e bucólica durante o dia, mas possui uma vida social e noturna bem agitada, típica das cidades de raiz nórdica.

Islândia - Qual o meio de pagamento preferido?

É nesse país único e mágico, onde o huldufólk ou Povo Escondido – composto por elfos, duendes, gnomos, trolls e outros seres sobrenaturais – tem residência própria, que o Transação 360 chega para saber qual o meio de pagamento preferido por eles.

Além de suas paisagens únicas e peculiaridades místicas, a Islândia também tem uma língua muito característica, considerada uma das mais difíceis do mundo! Ao contrário da maior parte das línguas vivas atualmente, o islandês falado em 2016 é praticamente o mesmo usado no século XII. O país tem uma política de preservação da linguagem desde o século XVII e, com isso, ao invés de adotar palavras de origem estrangeira para designar novos produtos, os islandeses criam um novo termo com origem em vocábulos antigos e dão a elas novos significados. A palavra simi, por exemplo, significa telefone, e tolva significa computador. No entanto, mesmo com essa política intensa de preservação do islandês, é muito comum que os habitantes falem também outras línguas, principalmente inglês e norueguês.

Quanto à economia, nos últimos anos a Islândia tornou-se uma das nações mais ricas, tendo sido classificada pela ONU como o terceiro país mais desenvolvido do mundo. Em 2008, entretanto, o sistema bancário do país falhou com a crise econômica mundial, causando uma profunda recessão no país, o que fez com que a Islândia perdesse várias posições na lista dos países com maior PIB per capita.

A Islândia teve uma ótima recuperação econômica nos últimos anos, mas a coroa islandesa continua sendo uma moeda de pouco valor quando comparada às outras moedas, como o dólar e o euro. Em valores atuais, por exemplo, a cédula em circulação de valor mais alto (kr 10.000) vale por volta de 70 euros. O baixo valor da moeda, somado ao fato de que a Islândia tem um elevado custo de vida, inibe muito o uso do dinheiro no dia a dia dos islandeses.

Com todos os motivos apresentados acima, não é difícil imaginar que a Islândia apresente altos níveis de uso de cartão de crédito e débito. No país inteiro, mesmo em lojas pequenas de cidades afastadas, é possível encontrar maquininhas de cartão tradicionais, que fazem leitura de chip e tarja. Muitas pesquisas estimam que os islandeses são os maiores usuários de cartões do mundo, tanto para transações do mundo físico, quanto do mundo virtual.

A Islândia se destaca pelo elevado volume de compras online para um país de população reduzida, uma consequência de um dos mais altos índices de uso de computador per capita e de acesso à internet (98% dos islandeses usam o serviço). Estima-se que atualmente 70% dos cidadãos desse país usem as redes sociais, mostrando o quão digitalmente engajada é a população. Um dado interessante a se destacar sobre o uso do e-commerce na Islândia é que 31% dos 200.000 islandeses que compram no mundo virtual, adquire produtos de sites ou vendedores de outros países.

Por esses motivos, as estatísticas para compras em e-commerce no país não são muito diferentes do mundo físico: mais de 90% das transações online são realizadas utilizando cartão de crédito. Outros métodos populares envolvem transferência bancária e o uso de cartões pré-pagos.

Pensando em visitar a Islândia?

Se você leu esse post e ficou interessado em comer um hákarl ou conhecer a bela cascata de Gulfoss, a nossa dica é que você entre em contato com o seu banco para saber um pouco mais sobre as taxas cobradas em transações internacionais. Assim, você poderá usar o seu cartão de crédito durante a viagem e não precisará se preocupar em carregar milhares de coroas islandesas por aí. Só não se esqueça de ter sempre um dinheiro guardado para usar na hora de utilizar o transporte público islandês ou pegar um taxi do aeroporto para o hotel, já que nesses locais o dinheiro ainda predomina como forma de pagamento!