Se o cliente abriu a fatura do cartão e não reconhece as compras que estão lá, possivelmente pode ter sido uma fraude que ocorreu em uma loja física ou virtual. Esse é o momento de agir de maneira rápida para que não fique ainda mais no prejuízo.

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Estude o seu mercado: analise a concorrência para entender quais os preços do mercado e quem está comprando dos seus concorrentes. Não adianta cobrar muito acima ou muito abaixo. Nos dois casos, você pode afastar clientes. 

2.

Agregue valor ao seu produto: mostre ao seu cliente qual o diferencial do seu produto/serviço. Ele paga mais quando enxerga valor naquilo que compra. Para aumentar o valor do que você vende, invista em um bom atendimento e garanta a melhor experiência para o seu consumidor. 

3.

Calcule sua margem de contribuição: ela indica se a sua receita é suficiente para cobrir quanto você gasta e te ajuda a entender se a sua empresa é lucrativa. O cálculo é simples. Subtraia seus custos e despesas do valor das suas vendas para ver se o produto que você vende vale a pena para o seu negócio. 

3 TIPOS DE FRAUDES NA MAQUININHA DE CARTÃO

Empresas de lojas virtuais podem ter soluções mais sofisticada para evitar a fraude (e ainda sim você vai ver que as fraudes ocorrem). Porém, nem sempre em loja física estamos preparados para tais situações. Por isso, fique atento nos tipos de fraudes mais comuns em estabelecimentos físicos.

1. FRAUDES DE Cancelamento de venda

É aquela situação em que o cliente sabe manusear um pouco a maquininha. Ele faz a compra e recebe a maquininha para digitar a senha. Em seguida ele cancela a venda, muda o valor, pega o cupom com o valor alterado sai. 

Por isso é importante conferir se a venda realmente foi feita, caso contrário a fraude ocorre e sequer é percebida.

2. Troca de maquininhas 

Imagine que um funcionário vai atender um cliente e entrega a maquininha do seu estabelecimento. O cliente ao digitar a senha, de uma maneira estratégica, consegue mudar a maquininha.

Parece muito difícil de ocorrer?! Mas é mais comum do que você imagina.

Ao trocar a maquininha por uma igual, o funcionário não percebe a fraude. O problema é que a nova maquininha está vinculada à conta de uma outra pessoa. Portanto, todas as compras que forem realizadas, serão registradas na conta dessa pessoa terceira.

3. FRAUDES POR Estorno no cartão

Nesse tipo de fraude, o fraudador digita a senha e a transação é aprovada. Na sequência, a maquininha emite o comprovante da compra e é nesse exato momento que o fraudador digita os códigos rapidamente para o estorno da venda.

O estorno gera outro comprovante e o fraudador acaba retendo esse comprovante consigo. E mais uma vez tudo foi tão rápido e ágil, que a fraude ocorre e não é reconhecida.

FraudeS mais comuNS nas lojas online  

Nas compras online, uma das situações que mais ocorre é o estorno. A compra foi feita, o produto enviado. Tudo ocorreu certinho, mas o estorno foi realizado. Isso acontece porque o cliente entrou em contato com a instituição financeira dizendo que não reconhece aquela compra.

Na compra online, o cliente digita o número do cartão e o código de verificação no ato da compra. Isso significa apenas que o cartão está autorizado a comprar. Quando o cartão é autorizado, quer dizer que aqueles dados existem. Não significa que a compra de fato foi aprovada.

Por exemplo, você vendeu R$3.000 em sua loja online e despachou a mercadoria. Após em média uns 30 dias, você recebeu a contestação, também chamado de chargeback.

Ou seja, prejuízo. Você acaba ficando sem dinheiro e sem mercadoria.

5 dicas para evitar as fraudes 

1. TEF (Transferência Eletrônica de Fundos)

O TEF possibilita que você tenha uma máquina de cartão integrada ao sistema de vendas. Logo, ele faz a comunicação direta entre estabelecimento comercial e a operadora de cartão.

Ao digitar a senha, O TEF libera o comprovante da transação financeira junto com o cupom fiscal, coibindo todos os tipos de fraudes. Na prática, ele tem vários benefícios e atua fortemente contra as fraudes. A máquina que passa o cartão fica integrada, logo, impossibilita que seja retirada, por exemplo.

Uma das maiores queixas em relação à fraudes de cartões, também está no valor digitado “incorretamente”. Com o TEF isso não é possível, pois o valor real da compra aparece automaticamente. Isso diminui o risco de fraudes e erros.

2. Empresas de análise de risco

Você pode utilizar uma empresa de análise de risco no seu estabelecimento. Ela faz uma integração, ou seja, pega os dados da transação e informa se ela tem um risco baixo, médio ou alto.

3. Empresas de intermediação

O objetivo da empresa intermediadora é garantir que a venda seja realizada, logo, faz uma análise de risco maior. Quando o cliente passa o cartão na sua loja, esse dinheiro vai para a intermediadora e, se ela aceitar, aí sim eles garantem o dinheiro para você. 

O lado positivo é que você fica tranquilo sobre a efetividade das suas vendas. O lado negativo, é que uma análise de risco rigorosa, compras que dariam certo podem acabar sendo recusadas.

Essas 2 são opções de ferramentas pagas. Mas existem também outras opções que podem sair mais em conta e também evitar as fraudes.

4.Ligue

Quando desconfiar de alguma irregularidade, você pode ligar direto para o cliente e conferir se o número registrado realmente existe. Outra ideia é olhar no Serasa e conferir se o cpf já teve problemas anteriores. Isso pode dar trabalho, mas é uma forma de garantir maior segurança em suas vendas maneira barata.

5. Esteja alerta

Uma das melhores formas de garantir segurança em sua venda, é estar atento. 

Faça a capacitação da sua equipe

Capacite! Pense em formas de treinar a equipe do seu negócio a se atentar com algumas situações de fraudes. Muitas vezes as pessoas sequer conhecem essas possibilidades e não sabem, portanto, como reagir a determinadas situações.

As fraudes de clonagem de cartões

Essa é a fraude mais comum no país e pode estar ligada à várias situações. A clonagem do cartão de crédito pode acontecer por meio do cadastro do cartão em aplicativos pouco confiáveis, clique em links falsos por e-mail e redes sociais, entre outros.  

Existe também a clonagem do cartão no caixa eletrônico. Os fraudadores usam uma ferramenta que fica nos leitores de cartão dos caixas eletrônicos, permitindo que seus dados sejam clonados.

Porém, é possível se prevenir com algumas orientações:

  • Memorize a senha e não deixe registrada por escrito em nenhum local;
  • Evite expor seus dados em sites que não são conhecidos e confiáveis;
  • Atenção às ligações telefônicas que pedem o número do CPF – não passe esse número para desconhecidos nunca.

São orientações simples, mas que podem fazer a diferença.

Fui vítima de fraudes, o que posso fazer?

Ao notar que alguma compra não está de acordo com a sua realidade, antes de qualquer coisa: não pague a fatura do cartão.

A compra não foi sua, certo?! É uma fraude, que pode ter sido feita na internet ou em alguma loja física. 

1. Entre em contato com a instituição financeira

Possivelmente ela vai cancelar a compra, estornar o dinheiro e cancelar o seu cartão.

2. Faça um Boletim de Ocorrência

Vá a delegacia mais próxima e comunique os órgãos necessários, explicando o tipo de fraude e como tudo ocorreu.

3. Habilite notificações de aplicativos 

Assim você fica sabendo toda vez que recebe uma compra no seu cartão. Se você confere a fatura apenas quando ela fecha, o susto pode ser muito maior.

Esperamos que com essas dicas você consiga reduzir o número de fraudes no seu negócio. Para continuar sempre por dentro de dicas sobre organização financeira, continue lendo nosso blog.

Obrigada pelo papo e ótimas vendas!