Com a epidemia de coronavírus (Covid-19) se espalhando pelo mundo, as empresas começam a rever previsões e quantificar prejuízos. 

A China, conhecida pelas atividades econômicas intensas e lojas cheias, viu suas ruas ficarem desertas por conta da doença, detectada primeiro em seu território. A Itália, que já registra mais de 15 mil casos, também adotou a política de quarentena e as ruas estão cada vez mais vazias. 

Estamos vivendo uma situação de emergência global pela fácil transmissão do vírus, embora o índice de mortes causadas pela doença seja baixo. Os efeitos são visíveis na economia mundial, com a queda das bolsas e o aumento do dólar. Grandes corporações fecharam escritórios na China e reduziram sua atividade econômica. 

Ao longo do post, vamos mostrar como a epidemia têm afetado a economia global e quais os possíveis efeitos no pequeno negócio. Vem ler! 

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Empresas de todo o mundo dependem das atividades comerciais com a China para manterem sua produção. Por isso, a disseminação do Covid-19 tem tido impactos importantes na economia do mundo, como a diminuição de exportações, o aumento do dólar e a queda das bolsas. Mas o coronavírus não é a primeira epidemia global que afeta a economia. Em 2013, a Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) reduziu o PIB chinês em 1,1%. 

2.

Por se tratar de uma epidemia global, todos os setores acabam sofrendo os impactos, com destaque aos segmentos de moda, beleza e cosméticos; automotivo; transporte aéreo e turismo. Mas o pequeno negócio também pode ver uma queda no movimento e impacto nas vendas. Afinal, a recomendação em países afetados é sair menos de casa e evitar viajar.   

3.

Algumas medidas podem ser tomadas para você lidar com o clima de instabilidade e evitar a transmissão do vírus no seu negócio. Nossas dicas para isso são: manter-se informado sobre a epidemia; conscientizar os clientes e funcionários sobre a doença; estimular novos hábitos entre os consumidores e colaboradores, como o uso de álcool gel; e fornecer informações relevantes sobre o coronavírus nas redes sociais do seu negócio.  

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Empresas de todo o mundo dependem das atividades comerciais com a China para manterem sua produção. Por isso, a disseminação do Covid-19 tem tido impactos importantes na economia do mundo, como a diminuição de exportações, o aumento do dólar e a queda das bolsas. Mas o coronavírus não é a primeira epidemia global que afeta a economia. Em 2013, a Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) reduziu o PIB chinês em 1,1%. 

2.

Por se tratar de uma epidemia global, todos os setores acabam sofrendo os impactos, com destaque aos segmentos de moda, beleza e cosméticos; automotivo; transporte aéreo e turismo. Mas o pequeno negócio também pode ver uma queda no movimento e impacto nas vendas. Afinal, a recomendação em países afetados é sair menos de casa e evitar viajar.   

3.

Algumas medidas podem ser tomadas para você lidar com o clima de instabilidade e evitar a transmissão do vírus no seu negócio. Nossas dicas para isso são: manter-se informado sobre a epidemia; conscientizar os clientes e funcionários sobre a doença; estimular novos hábitos entre os consumidores e colaboradores, como o uso de álcool gel; e fornecer informações relevantes sobre o coronavírus nas redes sociais do seu negócio.  

Como as epidemias afetam o negócio?

Epidemias globais costumam abalar a economia de forma significativa, afetando a circulação de mercadorias e os índices da bolsa de valores. Para avaliar o impacto que o novo coronavírus pode ter para a economia mundial e os negócios, é preciso analisar o histórico do impacto que outras epidemias tiveram. 

Segundo dados do Banco Central, aproximadamente 90% dos prejuízos econômicos em épocas de epidemias são motivados pelo medo da população, que faz com que o comércio feche.  

A BBC fez um levantamento dos dados sobre a epidemia de Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que durou 8 meses em 2013. O vírus matou 700 pessoas e diminuiu o PIB da China em 1,1%. Na época, o país não tinha a presença mundial que tem hoje, que corresponde a 18% do PIB do mundo.

Empresas espalhadas pelo mundo inteiro dependem das exportações chinesas para funcionarem. Com a crise do coronavírus, muitas fábricas e lojas foram fechadas em território chinês e estão impactando essas corporações. 

Como isso compromete os negócios? É o que vamos ver no próximo tópico!

Como o corona impacta os negócios?

Quando ligamos a televisão ou pegamos os jornais, não se fala em outra coisa! E tem sido cada vez mais comum ver algumas cidades chinesas desertas. Isso acontece porque as pessoas têm evitado se expor, principalmente em lugares cheios e fechados, como metrô e centros comerciais. 

Aeroportos pelo mundo também foram impactados, com redução no número de vôos. Com isso, há atraso na entrega de mercadorias, comprometendo toda a cadeia de produção das empresas. Com menos pessoas dispostas a sair de casa, o consumo cai. 

A epidemia do coronavírus gerou incerteza sobre o que vai acontecer e queda na atividade comercial. Não à toa as bolsas despencaram e o dólar disparou, elevando os custos com matéria-primas e equipamentos. Mas quais são os segmentos mais impactados pela crise? Vamos falar sobre isso agora.

Quais segmentos sofrem com a epidemia do coronavírus?

De um modo geral, como estamos falando de uma crise global, todos os setores acabam sendo afetados, mas alguns veem impactos mais expressivos.  

Segmentos que dependem de exportações ou importações com a China, como o têxtil e o mercado de cosméticos, já revisam suas previsões para o ano de 2020. 

O setor automotivo também é um dos mais afetados, já que as principais fábricas que abastecem o mundo estão localizadas na China. Wuhen, a região de origem do coronavírus, é responsável por 4,5% do PIB do país e concentra fábricas como a Nissan e a General Motors. 

Outras grandes corporações como Toyota, Starbucks, McDonalds e Volkswagen também reduziram as atividades em território chinês. A instabilidade do momento fez empresas como Calvin Klein, Apple, HP e Coca-cola revisarem suas previsões de lucro e até preverem prejuízos. Outras, como a Google e a Amazon, optaram por fechar seus escritórios na China.  

As companhias aéreas e o turismo também estão entre os setores abalados. Os aviões e navios são ambientes que facilitam a propagação do Covid-19. Então, a recomendação dos órgãos oficiais é evitar viajar.  

De fato, o controle nos aeroportos aumentou e a tendência nos países afetados é diminuir o número de vôos. Com isso, companhias como a Lufthansa, a Air France e a United Airlines pretendem conter gastos e preveem perdas de alguns milhões para esse ano. 

Como o coronavírus pode afetar o pequeno negócio?

Não são apenas as grandes corporações mundiais que vão sofrer com o impacto do coronavírus. O vírus chegou ao nosso país e o Brasil já conta com pelo menos 151 casos confirmados. A tendência é que esse número aumente ainda mais. 

Se a prática nos países afetados é adotar a quarentena, sair menos de casa e evitar lugares fechados, o pequeno negócio também pode sofrer o impacto. Bares, restaurantes, baladas e lojas concentram um grande número de pessoas em um lugar reduzido, facilitando a transmissão da doença. Assim, a procura por esses espaços pode diminuir. 

Além disso, muitos pequenos negócios também trabalham com a exportação de mercadorias e devem sentir o impacto da crise. Se o seu negócio depende de exportações, uma alternativa é buscar fornecedores locais e opções nacionais. Agora, vamos ver outras ações que você pode ter para lidar com a crise gerada pelo coronavírus.

O que fazer nesse momento?

Algumas medidas podem ser tomadas para evitar que o vírus se espalhe e contribuir para a educação da população: 

  • Acompanhe as notícias e a evolução da epidemia. Estar informado é importante para passar as coordenadas certas para os seus clientes e funcionários, evitando  a disseminação de informações falsas. 
  • Conscientize seus clientes. Deixe recados sobre como as pessoas devem espirrar e como devem agir. É recomendado espirrar na parte interna do braço e ficar a dois metros de distância de pessoas com gripe para evitar o contágio. Também faça campanhas de conscientização nas redes sociais, divulgando as informações e dados do Ministério da Saúde.
  • Espalhe frascos de álcool gel pela sua loja. Estimule o uso do álcool gel e deixe informes sobre a eficiência dessa prática para manter a higiene e eliminar o vírus.
  • Crie novos hábitos. Se você tem um restaurante ou um bar, conscientize seus clientes e funcionários a lavarem as mãos, não beberem nos copos uns dos outros, nem compartilharem canudos ou talheres. A taxa de transmissão do vírus é alta e esse tipo de prática aumenta o risco. 

Todas essas práticas protegem seus funcionários e clientes, além de aumentar a credibilidade do negócio junto ao consumidor quando ele entra na sua loja ou visita seu perfil nas redes sociais. Por isso, sempre forneça informações verificadas e  confiáveis aos seus clientes e colaboradores a respeito do coronavírus.  

Ao longo do artigo, vimos os impactos que as epidemias globais podem ter para a economia e os negócios. Também te demos algumas dicas sobre como você pode contribuir para evitar a transmissão do vírus no seu estabelecimento. O momento é delicado e é preciso conscientizar a população sobre as melhores medidas para acabar com a epidemia. 

O que você achou do nosso conteúdo, ele foi útil para você? Deixe o seu comentário que vamos te responder rapidinho!

Obrigada pelo papo e boas vendas!