Crescemos ouvindo nossos pais falando sobre como ter dívidas é algo negativo e qual a importância de evitar esse tipo de situação. Na prática, as coisas não funcionam bem assim e às vezes as dívidas são necessárias para realizar uma grande compra ou avançar em seu próprio negócio.

Mas em que cenário as dívidas podem ser positivas? E quais as condições necessárias para que esse endividamento seja benéfico para a sua vida? Se você quer entender como as dívidas podem trazer mudanças positivas e melhorar o seu padrão de vida, continue a leitura e confira nossas recomendações!

Dívida x investimento: como fazer uma boa escolha?

Você já parou para pensar que nem sempre é ruim ter dívidas? Elas podem ser o empurrãozinho que o seu negócio precisa para crescer. Para começar, vamos imaginar um cenário: há um ano, você abriu um restaurante de comida saudável. Vende sucos, saladas, crepes, tapiocas, açaí e por aí vai. Seu restaurante acabou se tornando um novo point no bairro e está sempre cheio.

As coisas estão funcionando: você consegue pagar os seus funcionários em dia, quitou todos os impostos, têm um bom relacionamento com os fornecedores. Tudo está indo bem, mas você acredita que poderia estar melhor.

Um dia, você pensa que com a chegada do verão a procura por comidas leves deve aumentar junto com a temperatura. Seu restaurante ainda é modesto, tem só quatro mesas e você sabe que daria pra fazer uma varandinha, mas não tem dinheiro sobrando.

Conversando com outro amigo comerciante, ele te sugere pegar um empréstimo. Você reluta porque está com todas as contas em dia, pra quê se endividar? Um empréstimo para a expansão do seu negócio não é uma dívida, é um investimento. Você já parou pra pensar na quantidade de vendas que vai perder se continuar só com quatro mesas no seu restaurante?

Um empréstimo feito de forma pensada, estruturada e com um fim específico é extremamente saudável, além de ser um medidor de sucesso do negócio. Se o seu espaço ou maquinário não comportam mais o fluxo de trabalho atual da sua empresa, significa que você está gerindo ela corretamente e pode, sim, dar um próximo passo.

Quando é hora de pegar um empréstimo?

Antes de qualquer coisa, você precisa olhar com muita atenção para as suas finanças. Quanto por mês você pode comprometer? Você já sabe de qual valor precisa? Já viu a taxa de juros? Aqui vão algumas dicas práticas que podem te ajudar nessa tomada de decisão.

Estabeleça um objetivo

Delimite bem os objetivos do empréstimo, pois ele precisa estar aliado às necessidades da sua empresa. Como gestor, evite misturar as coisas e pegar empréstimos para despesas pessoais, como viagens e compras não relacionadas à empresa, por exemplo.

Uma boa estratégia para definir se o seu objetivo de compra vale ou não o trabalho de contrair dívidas é verificar se o dinheiro que emprestou vai retornar para sua conta, ou apenas vai se transformar em consumo. Assim, você sabe que emprestar para aplicar no seu negócio pode ser uma ótima ideia, enquanto as dívidas para realizar uma viagem internacional não representam uma boa escolha.

Crie um orçamento

Estabelecer o quanto vai precisar para realizar seu projeto é fundamental para que não haja a necessidade novas dívidas. Assim, você não corre o risco de que tenha falta de recursos para concluir a aquisição que foi planejada para essa finalidade.

Em caso de reformas, por exemplo, a dica é que você faça um orçamento prévio de quanto você vai gastar. Lembre-se de pensar nesse montante com uma certa folga, já que a obra sempre tem algum imprevisto. A ideia é que você não pegue mais dinheiro do que realmente precisa.

Para criar um bom orçamento, você pode utilizar aplicativos específicos para isso, sites especializados e até mesmo uma planilha do Excel. Assim, você consegue compreender com mais clareza quais seus custos fixos, despesas variáveis e receitas. Desse modo, encaixar parcelas de uma dívida se torna mais simples e prático.

Estude a viabilidade e o retorno do investimento

A capacidade de planejamento a longo prazo é fundamental. Projete quanto você vai ter de retorno a partir desse capital que você vai injetar no seu negócio. Mesmo que não dê para cravar exatamente, você já vai ter uma ideia do lucro que virá a partir seu investimento.

Precisa de uma máquina nova para aumentar a produção, mais uma moto para dar uma força no delivery ou um carro para ajudar no transporte? Esses são exemplos práticos de como o empréstimo pode ser uma boa opção. Mas não são os únicos. Você conhece as necessidades da sua empresa melhor do que ninguém.

Defina parcelas que caibam no orçamento

Se programe para pagar as parcelas do empréstimo sempre em dia. Lembre-se que você já vai pagar juros do empréstimo e não precisa pagar também, os juros por atraso.

Se a sua empresa já tem dívidas muito altas ou você está se enrolando no cartão de crédito talvez não seja a hora de pegar um empréstimo para investir em crescimento. O ideal nesses casos é procurar um crédito que tenha juros mais baixos, quitar as dívidas anteriores e só depois disso pensar em crescer com o negócio

Ainda seguindo a dica de procurar por juros mais baixos, pesquise bem antes de tomar um empréstimo. Existem vários tipos de empréstimo no mercado, veja o que se adapta melhor às necessidades do seu negócio

Quais as melhores maneiras de quitar as dívidas?

Agora que você já entende a importância das dívidas para fazer com que seu negócio cresça ou para realizar compras importantes, é hora de aprender quais as melhores maneiras de quitar seus débitos de maneira simples e prática. Continue a leitura e confira quais as melhores estratégias para isso!

Faça um bom planejamento financeiro

O planejamento financeiro envolve diversas variáveis que precisam ser consideradas, entre elas o orçamento, o montante da dívida, o retorno sobre esse investimento e a taxa de juros vigente no mercado. Essas informações são úteis para que você estime as parcelas e como elas devem se encaixar no orçamento.

Além disso, nos casos em que o valor emprestado é usado para ampliações, reformas e melhorias da sua empresa, também é necessário considerar o tempo que será gasto entre a contratação desse crédito e o momento que ele vai retornar para a conta. Afinal, reformas podem levar alguns meses até que sua empresa consiga reabrir as portas.

Portanto, vale considerar a ideia de um empréstimo com determinado tempo de carência para o início da cobrança das parcelas. Assim, você consegue o tempo necessário para que o dinheiro comece a retornar para o seu bolso.

Elimine dívidas com alta taxa de juros

A única justificativa para contrair mais de uma dívida é para quitar a anterior que está com altas taxas de juros. Por conta da competição entre as diversas instituições financeiras, você dispõe de crédito com diferentes taxas de juros. Normalmente, essa taxa é afetada pela quantidade de crédito cedido, pela instituição da qual está emprestando e do risco que sua empresa representa para ela.

Assim, pode ser que haja diferenças de juros entre os bancos. Portanto, vale verificar qual a taxa de juros do seu empréstimo e comparar com as opções oferecidas por outros bancos. Mas, aqui vale um alerta, a taxa de juros que você deve considerar é a efetiva. A taxa de juros nominal não inclui diversos custos e, por isso, não é uma boa referência para o valor que, de fato, será pago pelo empréstimo.

Renegocie

Em alguns casos, a situação econômica é desfavorável e a taxa de juros de referência da economia, a taxa Selic, está muito elevada. Se o seu financiamento for solicitado em um período assim, é possível que ele possa ser renegociado.

Vale conversar com os responsáveis por sua atual instituição financeira e verificar quais as condições de crédito oferecidas pela concorrência. Dessa maneira, é possível renegociar o valor das dívidas e assegurar que não haverá problemas em seu orçamento.

Corte gastos desnecessários

Em um período de dívidas é importante manter a consciência desse gasto adicional em seu orçamento. Assim, isso pode ser equilibrado por meio da redução de outras despesas ou pelo aumento da receita.

Portanto, enquanto o valor que foi tomado no empréstimo não retorna para seu caixa, é necessário evitar despesas adicionais e melhorar a forma de gestão do seu negócio. Evitar desperdícios, melhorar o dimensionamento da demanda e entender como usar de modo inteligente os recursos da empresa, é uma excelente maneira de conter gastos e de tornar seu negócio mais lucrativo.

Viu como ter dívidas nem sempre é algo ruim? Se você contar com um bom planejamento e com algumas estratégias de gestão, é possível aproveitar esse dinheiro para realizar grandes transformações em sua empresa e, consequentemente, no seu padrão de vida. Por isso, tenha sempre uma mente focada no desenvolvimento do seu negócio. Acreditamos em você!

Gostou do nosso artigo? Quer aprender mais sobre quais as melhores maneiras de desenvolver sua empresa? Então confira nosso conteúdo no Instagram e tenha acesso a ótimas ideias para seus projetos!