alta performance
Empreendedorismo

Descubra 18 atributos que fizeram inúmeros atletas e empreendedores alcançarem a alta performance – Parte 2

Seguimos hoje com a segunda parte da lista para quem deseja se inspirar no mundo dos esportes para aprender como se tornar um profissional de altos resultados e alta performance.

Semana passada, trouxemos um primeiro compilado dos resultados dos estudos do famoso Psicólogo do Esporte, Bob Rotella. Ele descobriu, e apresentou em seu livro ´How Champions Think´, aspectos comuns a todos os atletas e empreendedores tidos como “campeões”.

Hoje, trazemos a segunda parte dessa lista! Confira a seguir:

 

Atributos e atitudes para uma alta performance

 

7) O ciclo virtuoso (“learned effectiveness”):

O ciclo defende que com Confiança geramos Persistência, que leva ao Sucesso e a uma atitude Otimista. E é muito difícil ser bem-sucedido sem ele!

 

8) O “Nervosismo” e o processo de Performance:

Estar nervoso, na maioria das vezes, faz com que a experiência se torne mais memorável. Nervosismo significa que o indivíduo irá fazer algo com o qual ele realmente se importa. É inconsciente e é uma perda de tempo tentar evitá-lo. Porém, o nervosismo pode atrapalhar. Por isso, é importante que as pessoas enxerguem o nervosismo como um aliado para ajudá-las a performar mais. O “high-performer” treina a si mesmo a ficar com a mente silenciosa assim que seu corpo começar a ficar excitado, de modo a ver o nervosismo como um amigo e poder relaxar num momento de estresse.

 

9) Auto avaliação:

É importante que a pessoa seja capaz de ter seus próprios padrões e que eles não sejam influenciados por outros ou pela sorte. Pessoas de alta performance compararam sua performance de acordo com o processo padrão que elas mesmas impuseram para si. Pessoas excepcionais sabem quando devem refletir e se auto avaliar. Elas são capazes de se monitorar e avaliar sua aderência ao processo que elas mesmas criaram. Criam metas e monitoram o quanto estão chegando próximo delas e se estão cometendo algum deslize. Basicamente, elas são capazes de honrar com os compromissos que elas criaram para si mesmas.

 

10) Lidando com fracassos (Going through the fire):

É preciso ter resiliência quando encaramos fracassos ou adversidades. Uma boa maneira de lidar com fracassos é reviver absolutamente tudo que fez de errado até entender como melhorar e lidar com todos os deslizes cometidos. Ou seja, é preciso aprender com os erros. A verdade é que pessoas que buscam “o incrível” irão deparar-se com obstáculos, terão momentos incrívelmente difíceis e errarão. É importante que eles se deparem com os obstáculos e enxerguem que o fracasso só é final se você parar de lutar. Resiliência.

 

11) Eficiência:

Na realidade, Rotella chamou de “Work Smart”, porém, ele estava se referindo a ser eficiente. Quando se é jovem, é importante trabalhar arduamente. Porém, conforme a pessoa vai amadurecendo, é importantissimo que ela seja capaz de fazer mais coisas em menos tempo, trabalhando de maneira estratégica e com mais eficiência.

 

12) Aprender a lidar com a competição:

É importante saber diferenciar as atitudes perante a competição. Durante a preparação, é imprescindível que se preste atenção, porém, durante a performance, o ideal é tentar ignorar. Ignorar sempre a competição não é bom, pois você pode se tornar medíocre ou complacente. Porém, se você fizer tudo da mesma maneira que os seus rivais fazem, você nunca terá espaço para inovação e fazer diferente. É importante saber quando focar-se no que é “seu” e quando aprender com os concorrentes.

 

O que achou de mais esses atributos? Acha que já está pronto(a) para tornar-se um profissional de alta performance? Mas calma, que ainda falta a Parte 3 com o final de todo o aprendizado do Rotella!

Até semana que vem!

por Livia Kuga

Líder do time de Atração e Seleção da Stone