metodologia ágil
Carreira e Trabalho

Como usar a metodologia Ágil para projetos em tecnologia

Rapidez e evolução digital são sinônimos. Por isso, quem quer fazer carreira em tecnologia deve estar atento às mudanças nas metodologias de gestão de projetos e ter um perfil tão dinâmico quanto elas.

 

Ao abordarmos as facilidades que a tecnologia traz para o nosso dia a dia, é comum pensarmos em aplicativos, softwares, computação na nuvem; enfim, em ferramentas capazes de nos fazer ganhar tempo. Antes, perdíamos tempo, por exemplo, ao procurarmos por um endereço em um guia ou mapa tradicional. Muitas vezes, ainda assim, tínhamos que perguntar a pessoas no meio do caminho para conseguir chegar ao destino. Hoje, basta usar o GPS. Mas, além das ferramentas que facilitam as coisas, a própria dinâmica da evolução digital acaba exigindo que todos nós nos tornemos mais rápidos para realizar nossas tarefas.

Em Gerenciamento de Projetos, área que já lida, naturalmente, com a realização de tarefas propriamente dita, essa “exigência natural” ficou ainda mais evidente. E fez surgir, na área de Desenvolvimento de Software, uma metodologia que, no próprio nome, já carrega todo seu sentido: a metodologia Agile (ágil, em português), um modelo diferente de modelos utilizados anteriormente.

Na metodologia Waterfall (ou cascata), uma das mais tradicionais, para se concluir o projeto, deve-se seguir etapas bem definidas e de maneira sequencial. É possível avançar apenas mediante a total conclusão dessas etapas. Na metodologia ágil, que teve seus princípios definidos em 2001 por meio do Manifesto Ágil, o objetivo é otimizar o projeto conforme ele vai acontecendo. Sendo assim, é possível ajustá-lo ao longo do processo, modificando o que for necessário. No método Ágil, o cliente recebe o produto ou serviço aos poucos, em curtos períodos: daí a rapidez de implementá-la.

 

Metodologia Ágil é central para negócios de tecnologia

Um dos mercados em que a metodologia ágil vem sendo aplicada para gerir projetos é o financeiro. As empresas do setor eram muito focadas em serviços financeiros e usavam a tecnologia apenas como suporte. Hoje, o protagonismo tecnológico é maior, através de aplicativos e novos recursos para efetuar transações.

Para trabalhar em um ambiente em que as soluções precisam surgir cada vez mais rápido, o profissional deve ser multifacetado e ter uma boa noção do todo – o que exige muito protagonismo na busca de informações e cabeça aberta para agregar grupos multidisciplinares em tomadas de decisão, sempre que necessário.

Usar a metodologia ágil não significa, porém, que não dê para estruturar todos os passos do planejamento de um projeto, da ideia à conclusão. O diferencial é que, mesmo tendo “tudo na ponta do lápis”, o profissional deve estar aberto a possíveis mudanças. Por isso, além de formações específicas para atuar com a metodologia, o profissional que queira investir nessa carreira deve ter, também, ele(a) próprio(a), um perfil flexível, sem medo de errar, e ciente de que suas soluções são sempre passíveis de melhorias.

E você, quer se tornar um profissional desta nova era ágil? Na Stone, temos algumas vagas abetas:

 

Por Nathalia Bustamante,

Na Prática

 

A Stone é grande parceira do portal Na Prática por também acreditar no potencial de investir no desenvolvimento pessoal e gestão de carreira dos jovens universitários e recém-formados. Mensalmente, o portal publica textos no nosso blog, na seção Fundação Estudar.