contratar
Desenvolvimento Pessoal

Aprenda com o Google como contratar talentos é a coisa mais importante que você faz – Parte 3

Aqui está a terceira e última parte da lista de práticas defendidas pela Google para atrair, contratar e reter as chamadas “criativas inteligentes”.

Não importa o cargo que a pessoa vai ocupar, a Google investe tempo e energia para garantir a contratação dos melhores funcionários possíveis. Para isso, ela segue processos específicos.

Curioso(a) para saber quais eles são? Reveja aqui a primeira e a segunda parte da lista que criamos com as principais práticas de gestão de pessoas utilizadas pela gigante de tecnologia. E, abaixo, confira a terceira e última parte da lista:

 

Táticas do Google para contratar as melhores pessoas – Parte 3:

– O processo seletivo é feito por um comitê:

Esses comitês devem ter integrantes suficientes para permitir um bom número de pontos de vista, mas precisam ser pequenos o bastante para permitir um processo eficiente. A melhor composição promove uma grande variedade de perspectivas, portanto, tenha como meta a diversidade: em termos de tempo de serviço, talentos, pontos fortes e formação. NADA É MAIS CRUCIAL DO QUE A QUALIDADE DAS CONTRATAÇÕES.

Além disso, existe uma pasta de contratação, com todas as informações a respeito de um candidato que avançou de etapa. Os contratados têm as melhores pastas, que são provas para sustentar a decisão da contratação. Além disso, todas as pastas têm estatísticas das notas que os avaliadores já deram, assim é possível ver se o avaliador é mais ou menos rigoroso (isso diminui a subjetividade).

Da mesma forma, a promoção também é feita por um comitê. A decisão não está apenas na mão do gestor. A qualidade sempre deve prevalecer em detrimento da rapidez!

 

– Pessoas excepcionais merecem salários excepcionais:

Criativos inteligentes causam um impacto desproporcional. Por isso, recompense de maneira desproporcional quem faz um impacto também desproporcional. Você deve contratar os criativos inteligentes com um preço dentro do esperado, mas assim que começarem a mostrar serviço, pague-os de acordo. Quanto maior o impacto, maior a remuneração.

 

– Lute para manter gente incrível:

Quando você contrata gente incrível, algumas delas percebem que existe um mundo além do seu e almejam sair da empresa. LUTE para mantê-las. Não deixe que fiquem acomodadas. Encontre maneiras de deixar seu trabalho interessante. Encoraje-as a fazer um rodízio, conhecer outras áreas, etc.

 

– Mas, se mesmo assim a pessoa quiser sair, deixe-os ir:

A perda de ótimos funcionários pode acarretar efeito cascata. Então, já que a pessoa quer sair, nada mais importante do que ouvir seus motivos. Assim, se sentirão relevantes e valorizadas. Demonstre interesse pelos seus planos para quando sair. Crie um ambiente em que o “ex-funcionário” também possa manter o contato.

 

– Demitir é horrível:

A melhor maneira de evitar demitir é não contratar gente ruim! Se você pudesse trocar 10% piores da sua equipe por novos contratados, sua empresa melhoraria? Se sim, é preciso rever o processo de contratação.

Outra boa pergunta: há algum integrante da sua equipe por cuja permanência você não lutaria? Se sim, talvez a pessoa devesse ser demitida. Mas, cuidado para não criar uma cultura do medo. Nunca demita sem ter justificativas para a pessoa.

 

O que achou do conjunto de três textos com dicas preciosas sobre como o Google gerencia suas pessoas? Acreditamos intensamente que elas são grandes responsáveis pelo sucesso da empresa; afinal, toda organização é construída, mais do que tudo, por pessoas.

Por isso, se você deseja também construir ou fazer parte de um negócio de sucesso, pense em implementar algumas destas estratégias na sua empresa ou analisá-las ao considerar um local de trabalho. Sempre que tiver que tomar uma decisão sobre gente, lembre-se da crença-base dos fundadores do Google: “Nossos funcionários são nosso bem mais precioso”.

 

por Livia Kuga

Líder do time de Atração e Seleção da Stone