O Stone Partner Program é um programa feito para empreendedores e desenvolvedores que desejam agregar a tecnologia financeira da Stone aos seus próprios produtos.
E uma das maiores satisfações e know-how do programa é iniciar uma operação nova de parceria com as empresas que mergulham nesta jornada. Acredito que este assunto é vasto e pode ser abordado em uma série de artigos, mas vamos deixar  um pouco da nossa  experiência, adquirida últimos anos, dedicada ao dia a dia dos empreendedores, founders e de todos os times envolvidos. Vamos lá?

Por que fazer uma operação de parceria?


Antes de começar a trazer os pontos práticos, considero importante tocar na essência, na nossa linha mestra. Ou, como preferimos falar aqui na Stone: do nosso propósito. A ideia não é deixar o texto conceitual, falando apenas da visão, pelo contrário, aqui prezamos muito pelo pragmatismo de nossas ações. No entanto, não falar de cultura é negligenciar um pilar fundamental do porquê e como agimos.


A  nossa cultura centrada no cliente e com espírito de dono é o nosso maior ativo. Ela dita exatamente como tomamos decisões, e, tirando a modéstia da mesa, é difícil achar um lugar onde as pessoas tenham tanta paixão pelo que fazem como aqui no Stone Partner Program. Isso não se dá por demérito dos outros lugares, mas sim pela capacidade  que adquirimos de pensar nos negócios de forma diferente. Nosso objetivo é sempre estar ao lado do parceiro, sendo uma espécie de conselheiro do mercado de pagamentos, um guardião do assunto na empresa que também toma riscos junto com eles, é claro. Aqui não acreditamos em espaço vazio, queremos preencher com trabalho duro e oportunidade de crescimento. Não há atalhos, mas sim uma vontade de executar, cada dia com mais eficiência e simplicidade.


Costumamos  brincar que quem trabalha com tecnologia e não tem problemas, de duas uma: ou não tem tecnologia, ou ainda não falou com clientes o suficiente. Aqui na Stone sabemos que o crescimento rápido dói e exige de todos, mas também temos a certeza que nosso time está preparado para abordar temas de forma franca, pragmática e técnica, nunca perdendo o carinho por nossos parceiros e clientes.
Dada a introdução, agora faremos um mergulho mais profundo na construção de uma nova operação de parceria, passando por temas que considero fundamentais nessa etapa. A ideia não é reinventar a roda, pelo contrário, é trazer simplicidade.. Quanto mais simples operarmos, mais fácil será sustentar um crescimento acelerado. É mais fácil falar do que fazer, certo? Depende! Na verdade, acho que as pessoas tendem a complicar muito, mas com  as nossas dicas vamos ajudar você a chegar lá mais rápido.


Pessoas: nada é mais importante que as pessoas.


Parece uma dica superficial, mas a forma que você aloca o conhecimento das pessoas é uma das chaves do sucesso. Procure sócios e colaboradores que sejam resilientes por natureza, não se restrinjam a trabalhar apenas no óbvio, busque os profissionais que tenham interesse diversos, como tecnologia, finanças, marketing e, claro, em produto - a inovação vem da extrapolação de conhecimento e a execução, da profundidade dele. Aprimorar todo o time, dando desafios constantes e acomodando interesses é tarefa fundamental. Portanto, saiba se as pessoas que estarão à frente do projeto entenderam de fato o desafio proposto. Nessa tarefa você não está sozinho: o Partner Program ajudará ,desde o princípio, com essa missão, seja na contratação, direcionamento e educação do time (independente de cargos).

Tecnologia

Somos uma empresa de tecnologia e entendemos ela como fonte fundamental do desenvolvimento interno e externo. Enquanto o primeiro nos dá velocidade em processos, desburocratiza etapas do nosso dia a dia e, claro, atende de forma mais assertiva nossos colaboradores, a segunda é focada 100% no cliente de fora, empoderando ele com produtos e fluxos com uma melhor experiência do usuário. Desta forma, buscamos sempre criticar o que fazemos em busca de algo mais eficiente ou agradável.
Ainda no tema, precisamos respeitar os processos de cada empresa, mas sempre com espírito questionador. Todos os lados necessitam acreditar no que foi realizado, mas  manter o desejo e interesse de verificar o que foi feito. Como diz o Andrew Grove, “apenas os paranóicos sobrevivem” (inclusive, título do seu livro).

Produto

Nada escala tão rápido como um bom produto! Isso mesmo, um produto bem pensado do ponto de vista do cliente a da operação, é uma estratégia campeã. Não se faz bom restaurante com cozinha bagunçada.
Saiba nos mínimos detalhes como ativar a solução no cliente, conhecendo os SLAs, ineficiências e comportamento do consumidor. Inclua no seu checklist ,  criar uma excelente experiência de onboarding para o seu time também e - lembre-se, essa hora muda o jogo no relacionamento com a ponta.
Este quesito começa com um bom processo de integração e com o carinho que o produto merece. Cobre bastante o seu time de desenvolvimento e os product managers do projeto, o trabalho deles também definirá se nos meses seguintes você dormirá bem ou mal. Garanta que o resultado do que está sendo construído não se afaste da realidade que encontrará na rua.

Números

Toda a operação precisa de números. No começo, não se preocupe com nada além de medir tudo o que você faz, mas, de maneira super simples. Não queremos nos perder em análises minuciosas logo no início da parceria, apenas queremos entender o KPI correto a ser medido. Conforme a operação for evoluindo começaremos a olhar para mais indicadores.
Números são vivos e nos mostram a evolução (ou não) de uma ação. Isso significa que precisamos sempre entender o que olhar, mas também quando olhar - para o amadurecimento do time e também para tomar ações rápidas. Não se apaixone por um produto ou processo, confie nos números e mate, “sem dó”, qualquer ineficiência..
Muitos parceiros começam uma nova parceria pensando em métricas financeiras. Claro que elas são importantes e devem ser perseguidas, porém, no curto prazo, preocupe-se apenas nas métricas operacionais: conversão de venda e ativação da solução. Isso que mexe o ponteiro e mostrará onde existem as dores do novo negócio, em conjunto. Ajuste a operação , de forma paranoica. (olha ela aí novamente!).

Incentivos

Aqui olhamos de uma forma ampla, tanto incentivos financeiros, quanto as experiências adicionais. Nossa função, como gestores, é colocar o incentivo correto para cada um do time - sempre focando nas necessidades das pessoas e no potencial da área. Premie os bons colaboradores, valorize o trabalho deles e abra caminho para terem autonomia, com direcionamento. Coloque desafios e confie no time, dando aos que atingirem, premiações que mudem o dia a dia deles, como profissionais e pessoas. Nunca tenha medo de dividir o bolo, aqui é um exercício de aumentar a fatia e não de diminuir o número de pessoas que comem.
Ao mesmo tempo, não se omita, o gerenciamento diário dos colaboradores é fundamental. Vale grupo de whatsapp, planilha, CRM, enfim, a ferramenta que mais se adaptarem e/ou tiverem possibilidade. O “não olhar” é a mesma coisa que não fazer. Isso reflete na construção e entendimento dos incentivos para cada um.
Entenda o papel de cada um do time no todo, criando metas individuais e de equipe. Integrar visões é ponto fundamental para a roda girar na direção correta. Desta forma, todos começam a ter visão do ciclo do produto e param de pensar no seu próprio quadrado. O processo construtivo, preferencialmente, deve ser colaborativo e deixar espaço para os indivíduos do time se destacarem. Da mesma forma, não flexibilize as metas, é importante todos responderem pela sua performance, inclusive, perante ao grupo.
Valorize de forma paranoica a meritocracia e gestão do time por resultados. As metas e incentivos devem espelhar com maestria os objetivos que você, enquanto empresa, deseja atingir. Qualquer desalinhamento, nesse sentido, poderá direcionar a execução para direções opostas às esperadas.

Disciplina


Disciplina é um fator chave para uma operação ganhar escala, principalmente no começo, quando os fluxos ainda estão sendo construídos. Essa é a característica que todo mundo diz que têm, mas na hora “H” esquecem de exercer.
Não vamos cair na falácia que no “day one” faremos tudo automatizado por APIs, pelo contrário, o trabalho operacional é importante para educar todos os envolvidos e, a partir daí, ganhar eficiência. Sempre teremos o que melhorar, mas não podemos parar por pequenos empecilhos - todas as atividades são fundamentais para o sucesso de uma parceria.
Disciplina é parte fundamental do trabalho. Não subestime, em momento nenhum, a capacidade que micro tarefas têm no todo. Se for necessário, em algumas fases da empresa, microgerencie.

Comunicação


Esse ponto deve ser constante, mesmo que no começo não seja fluido. Ao longo do tempo percebo que o nível de interações que temos no dia a dia é inversamente proporcional a qualidade de onboarding que fazemos. Não deixe o time achar que “apagar incêndios" é trabalhar, pelo contrário. Entenda, através da comunicação, onde mora o verdadeiro problema: fluxo, treinamento, produto etc? Quanto mais nos comunicamos no começo da parceria, mais fácil fica identificar os gaps da operação.                                                                                                                        

Trocar percepções e manter velocidade nas trocas é peça chave para a escala da parceria acontecer. Quando omitimos informações ou perdemos o tempo de resposta, um pequeno problema pode virar gigantesco ou uma boa oportunidade passar despercebida.                                                                                                          

No fim, a chave do sucesso mora no comprometimento das pessoas e na visão de futuro que cada empresa quer para si. Aqui no Stone Partner Program estamos preparados para estruturar operações pensando em cada momento da vida do parceiro, obedecendo limites, mas provocando e ensinando o que já vivemos. Nos próximos artigos abriremos  um pouco mais cada um desses pontos para conseguirmos discutir com exemplos e depoimentos de pessoas que já passaram por essas experiências.

Boas vendas,
Time de Parcerias Stone